3 filmes sobre a escravidão negra no Brasil

A  escravidão negra  no  Brasil durou, oficialmente, de  1530 a 1888. Diversas  linguagens  artísticas  foram  utilizadas  para  retratar esse  momento da  História: quadros,  esculturas, canções e  filmes. Nós selecionamos   três  filmes  em que   a escravidão é abordada.  Assista!

Quilombo

O  filme, exibido em 1984, conta a  história de  Ganga  Zumba e seu  sobrinho Zumbi  dos  Palmares.  Sob  direção de  Cacá  Diegues, mostra a  religiosidade dos  quilombolas e  a  luta  contra os colonizadores  europeus.   Embora  de  maneira  bastante  superficial,  a convivência entre  negros e  indígenas  também é  apresentada  no  filme.

No elenco,  estão:  Tony Tornado (Ganga Zumba), Zezé  Motta (Dandhara dos Palmares), Antônio Pitanga (Acaiuba), Antônio Pompeo (Zumbi),  Maurício do  Valle (Domingos Jorge  Velho). É  importante destacar que,  20 anos antes, Pitanga interpretara  Ganga no filme  homônimo Ganga  Zumba.

Se  não conseguir visualizar o player, clique AQUI.

A  ilha  dos escravos

O  filme, divulgado em  2008, é  uma co-produção luso-brasileira, realizada  a partir do romance do escritor português  Evaristo de  Almeida. A  produção conta a  história da  escravidão  no  Brasil e  em   Cabo Verde – arquipélago que   foi colônia de  Portugal até 1975.

O  elenco é  formado por atores portugueses,  brasileiros e caboverdianos:  Milton Gonçalves,  Zezé  Motta, Vanessa Giácomo, Francisco de  Assis  e  outros.

Quanto vale  ou  é  por  quilo?

A  escravidão acabou ou o  povo negro continua explorado no  século XXI? Talvez, essa  seja a principal pergunta desse  filme  que  busca estabelecer  um paralelo entre o comércio de escravos e  a   exploração da  miséria  como  fonte de  renda.

Quanto  vale ou  é  por  quilo?   é  uma  produção de  2008.  Dirigido por  Sergio Bianchi, ele   tem  no  elenco  Zezé Motta,  Antônio Abujamra, Herson Capri e  Ariclê  Perez.

Leia também:

Os africanos resistiram ao Holocausto

E você, leitor, lembra  de  algum   outro   filme?  Dê  sua   sugestão nos  comentários!

 *Texto  de  Andréa Motta – Membro da  Pastoral Afro da  Matriz de  Santa Rosa de Lima.

Anúncios

Deixe um comentário. Para saber se já o respondemos, marque a opção "Seguir comentários".

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s